atencao

Maurício Guimarães Soares, titular da Delegacia Anti-Sequestros de São Paulo citou algumas medidas que devem ser incorporadas no dia-a-dia:

● Não anotar telefone residencial no verso de cheques, especialmente em postos de gasolina. No caso de assalto ao posto, as informações pessoais podem ser usadas para ameaças, especialmente contra mulheres. Anote sempre o telefone comercial.

● Não exibir currículo no carro, como: adesivo de faculdade, do condomínio onde reside, da academia, etc. Um extorsionário deduz desses sinais a vida da pessoa.

● Evitar compras por telefone ou internet fornecendo o número do cartão de crédito. Peça boleto bancário.

● O ladrão prefere pessoas desalentas, aproveita-se do elemento surpresa.

● Jamais reagir, só em filmes isso dá certo. O elemento surpresa é favorável ao bandido, que nunca está sozinho e não tem nada a perder.

● Manter distância segura do carro da frente, para pode sair numa só manobra, sem bater. Distância segura é enxergar pelo menos parte do pneu do carro da frente.

● Em caso de assalto no sinal de transito o risco de morrer em roubo é absurdamente maior que num sequestro. Nessa situação mantenha as mãos no volante e tente comunicar-se, indicando claramente o que vai fazer: Ex: tirar o cinto, pegar a carteira.

● À noite, calcule tempo e velocidade para evitar parar num sinal vermelho. Não há registro de assalto com carro em movimento.

Fonte:
Dr. Maurício Guimarães Soares, titular da Delegacia Anti-Sequestros de São Paulo.